quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Quando o Recém-nascido Recebe Alta Médica?

- Segundo uma portaria do Ministério da Saúde, o recém-nascido deve receber alta médica somente após 48 horas de vida (caso esteja tudo bem com sua saúde);
- Além disso, a amamentação ao seio deve estar bem consolidada;
- Não deve ter apresentado icterícia nas primeiras 24 horas de vida;
- De preferência, deve ter evacuado.

Farmacinha do Bebê

- Um pacote de fraldas tamanho RN (recém-nascido);
- Cotonetes (limpar somente a parte externa do ouvido);
- Algodão em bolas;
- Sabonete neutro;
- Álcool 70%;
- Garrafa térmica para água morna: para a higiene da região genital em casa;
- Lenços umedecidos: reservados para a higiene da região genital quando fora de casa;
- Tesoura sem ponta para unhas;
- Pente e escova de cabelos;
- Termômetro;
- Termômetro para banheira;
- Bolsa térmica pequena: para as cólicas;
- Pomada para prevenção de assaduras, soro fisiológico nasal, medicamento antitérmico, medicamento para cólica: seguir os recomendados pelo pediatra.

A Escolha do Pediatra

- A escolha do pediatra, preferencialmente, deve ser feita ANTES de o bebê nascer;
- Levar em consideração a indicação de amigos, parentes ou de outro médico (normalmente o obstetra);
- Não necessariamente o pediatra escolhido atenderá o seu filho na sala de parto;
- Deve transmitir segurança;
- Verificar se o preço da consulta cabe no orçamento;
- De preferência, o consultório deve ser próximo da sua casa;
- Anotar os dias e os horários de atendimento;
- Verificar se o médico possui algum hospital de referência, para o qual a criança deverá ser levada nos casos de emergência;
- Questionar o médico sobre a possibilidade de se tirarem dúvidas pelo telefone e se tais "consultas por telefone" são cobradas;
- Verificar se a personalidade no pediatra atende às necessidades dos pais.

sábado, 29 de outubro de 2011

Estamos entre os Top 100!

Meus leitores,
          Nosso blog está concorrendo ao prêmio Top Blog 2011. "O objetivo do Top Blog Prêmio é promover, divulgar e patrocinar a iniciativa dos proprietários de blogs que interagem socialmente pela rede internet com finalidade de compartilhar seus conhecimentos, idéias, experiências e perspectivas, contribuindo solidariamente com o desenvolvimento social e cultural do País". 
          Quando menciono o "prêmio", não se trata de nada de valor monetário. O primeiro lugar na área da saúde ganha um troféu, um certificado e um "selo" de vencedor para ficar no blog (semelhante ao selo da promoção). Temos chances de ganhar através do maior número de votos ou através da maior pontuação (validada por um júri). 
          Em 2010, ficamos entre os 30 melhores blogs da área da saúde, e já fiquei mega satisfeita! Quem sabe nesse ano a gente não consegue avançar um pouquinho, ein? 
          Na edição de 2011, estamos entre os Top 100.
           Para avançarmos na disputa, cliquem no selo da promoção (está na parte superior direita do nosso blog). Seu voto TEM de ser confirmado via e-mail. Tá... eu sei, é meio trabalhoso, né? Mas, nunca passou pela sua cabeça o tanto de trabalho que eu tenho para colocar essas informações para vocês? (tô tentando apelar para o seu sentimentalismo, vai... vota lá). E, se achar que o blog merece, manda um link pros seus amigos também. A votação no segundo turno se encerra em 22/11/2011. 
          O reconhecimento de vocês é um incentivo para mim.

          Muito obrigada. Beijo.

domingo, 18 de setembro de 2011

Dificuldade para postar comentários

Acredito que seja um problema do Blogger, mas algumas pessoas estão me enviando e-mails dizendo que não conseguem postar comentários no blog, mesmo após terem se tornado seguidores. Nesse caso, peço-lhes que me enviem a pergunta por e-mail (blalinka@hotmail.com) que eu mesma a publicarei com a resposta, até que o problema seja solucionado. Agradeço a compreensão de todos e desculpo-me pelo inconveniente.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Prêmio Top Blog 2011

Meus leitores,
 
          Nosso blog está concorrendo ao prêmio Top Blog 2011. "O objetivo do Top Blog Prêmio é promover, divulgar e patrocinar a iniciativa dos proprietários de blogs que interagem socialmente pela rede internet com finalidade de compartilhar seus conhecimentos, idéias, experiências e perspectivas, contribuindo solidariamente com o desenvolvimento social e cultural do País". 
          Quando menciono o "prêmio", não se trata de nada de valor monetário. O primeiro lugar na área da saúde ganha um troféu, um certificado e um "selo" de vencedor para ficar no blog (semelhante ao selo da promoção). Temos chances de ganhar através do maior número de votos ou através da maior pontuação (validada por um júri). 
          Em 2010, ficamos entre os 30 melhores blogs da área da saúde, e já fiquei mega satisfeita! Quem sabe nesse ano a gente não consegue avançar um pouquinho, ein? 
          Para avançarmos na disputa, cliquem no selo da promoção (está na parte superior direita do nosso blog). Seu voto TEM de ser confirmado via e-mail. Tá... eu sei, é meio trabalhoso, né? Mas, nunca passou pela sua cabeça o tanto de trabalho que eu tenho para colocar essas informações para vocês? (tô tentando apelar para o seu sentimentalismo, vai... vota lá). E, se achar que o blog merece, manda um link pros seus amigos também. A votação no primeiro turno se encerra em 11/10/2011. 
          O reconhecimento de vocês é um incentivo para mim.

          Muito obrigada. Beijo.

domingo, 20 de março de 2011

Púrpura de Henoch-Schönlein

- É uma vasculite de pequenos vasos com acometimento preferencial pela pele, rins, articulações e trato gastrintestinal;
- Frequentemente se inicia após uma infecção de vias aéreas superiores;
- Manifestações Clínicas: podem aparecer de forma abrupta ou de forma mais lenta (semanas ou meses):
  • Pele: surgem lesões maculopapulares róseas que desaparecem à digitopressão, que progridem para petéquias e púrpuras (pápulas elevadas agrupadas que podem ser vermelhas, roxas ou marrons). As lesões surgem principalmente em couro cabeludo, dorso, nádegas, pés, mãos, pálpebras, lábios e escroto;
  • Artrite: ocorre em 2/3 dos pacientes, em especial em joelhos e tornozelos, dura poucos dias e desaparece sem deixar sequelas;
  • Trato Gastrintestinal: dor abdominal tipo cólica, aumento dos linfonodos mesentéricos, edema e até hemorragia de alça (e em alguns casos perfuração de alça e intussuscepção íleo-ileal). Pode haver hepatoesplenomegalia;
  • Rins: 25 a 50% dos pacientes terá comprometimento renal. Pode ocorrer síndrome nefrítica, nefrótica ou mesmo insuficiência renal aguda. A nefrite costuma aparecer cerca de 1 a 3 semanas após a infecção das vias aéreas superiores.
- Diagnóstico: normalmente é clinico. Pode ocorrer trombocitose, leucocitose e anemia discreta. O VHS está elevado. A confirmação diagnóstica é feita através de biópsia da pele;
- Tratamento: normalmente feito com analgésicos. Em alguns casos, corticoterapia é indicada;
- Prognóstico: tem bom prognóstico.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Doença de Kawasaki: infarto do miocárdio em crianças?

- Também chamada febre faringo-conjuntival-exantemática;
- É uma doença exantemática reumatológica;
- Sua origem é desconhecida, embora estudos recentes apontem uma provável causa infecciosa;
- Mais comum em pacientes asiáticos;
- 80% dos casos ocorrem em menores de 5 anos de idade;
- É uma vasculite necrosante de artérias de vários calibres, com predileção pelas artérias coronárias (que irrigam o coração), podendo levar a complicações cardíacas permanentes e progressivas;
- Apresentação Clínica: existem 4 fases:
  • Fase Aguda (10 dias): febre elevada, que pode durar, sem tratamento, até 4 semanas. Hiperemia (vermelhidão) da conjuntiva ocular bilateral e não exsudativa (não produz "remela"). Língua em morango, eritema (vermelhidão) e fissura em lábios, mas sem ulceração. Eritema e edema em mãos e pés. Rash cutâneo: maculopapular, eritema multiforme ou escarlatiniforme. Linfadenite ("íngua") cervical unilateral e maior do que 1,5cm de diâmetro. Descamação perineal. Ocorre aumento de VHS e do PCR e leucocitose com neutrofilia. Outras: miocardite, pericardite, artrite, hepatite e meningite asséptica;
  • Fase Subaguda (11 a 21 dias): diminuição da febre e dos outros sintomas. Persiste irritabilidade e anorexia. Aneurismas coronarianos podem começar a se desenvolver. Ocorre descamação periungueal e trombocitose;
  • Fase de Convalescência (21 a 60 dias): pode persistir a conjuntivite e a trombocitose. Infartos miocárdicos podem acontecer a partir dessa fase;
  • Crônica (mais de 60 dias): pode haver angina no peito, estenose coronariana e insuficiência miocárdica.
- Diagnóstico: baseado nos critérios abaixo:
  • Febre alta por, no mínimo, 5 dias (critério obrigatório);
  • Mais 4 critérios dos apresentados a seguir: 1. edema e eritema de mãos e pés ou descamação periungueal em 2 a 3 semanas de doença; 2. Rash polimórfico; 3. Conjuntivite bilateral bulbar não exsudativa; 4. Mudanças nos lábios e boca: eritema, fissura, língua em morango; 5. Linfadenopatia cervical;
  • Existe uma forma de apresentação chamada de incompleta ou atípica, em que o paciente não apresenta todos os sintomas acima descritos.
- Laboratório: hemograma (anemia normocítica e normocrômica; leucocitose discreta com predomínio de neutrófilos; aumento do número de plaquetas, podendo atingir mais de 1.000.000/mm cúbicos), aumento de VHS e PCR, piúria estéril, transaminases levemente aumentadas, ecocardiograma (usado para o diagnóstico de aneurismas de artérias coronárias; deve ser realizado na fase aguda e cerca de 2 a 3 semanas após);
- Tratamento: requer internação hospitalar. Normalmente realizado com imunoglobulina venosa e AAS. Em casos graves, pode-se fazer necessário o uso de fibrinolíticos e outros anti-agregantes plaquetários.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sarampo

- Também conhecida como "primeira doença";
- Causada por um vírus;
- Desde a introdução da vacina, em 1963, os casos de sarampo diminuíram drasticamente;
- No Brasil, o sarampo encontra-se erradicado desde o ano 2000. Entretanto, eventualmente surgem casos de sarampo no Brasil, alguns contraídos dentro do país e outros adquiridos no exterior;
- Transmissão: através de pequenas gotículas de secreção respiratória, que ficam viáveis no ar até por uma hora;
- O período de incubação, ou seja, o tempo desde que a pessoa seja contaminada até o surgimento dos primeiros sintomas é de 8 a 12 dias;
- Manifestações Clínicas:
  • Fase Prodrômica (dura de 2 a 4 dias): febre, conjuntivite, fotofobia (intolerância á luz), tosse, enantema. O enantema é caracterizado pelas manchas de Koplik, que estão presentes em cerca de 50 a 70% dos casos. Tratam-se de pequenas manchas brancas com halo avermelhado visualizadas na face interna das bochechas na altura dos dentes pré-molares. Podem disseminar-se pelo palato, lábios e gengivas. Lesões semelhantes podem estar presentes nas conjuntivas e na mucosa vaginal;
Mancha de Koplik. Foto retirada de: http://visualsunlimited.photoshelter.com/image/I0000gpV0cFhI1h0
  • Fase Exantemática (dura cerca de 7 dias): o rash caracteriza-se por lesões maculopapulares avermelhadas que começam na fronte (ao redor da linha de implantação dos cabelos), próximas às orelhas e no pescoço. Dissemina-se então pelo dorso, extremidades, solas dos pés e plantas das mãos. Com o início do rash os outros sintomas começam a diminuir. O doente transmite o sarampo 3 dias ANTES do surgimento do rash e permanece até 4 a 6 dias APÓS;
Foto retirada de: http://lynnp.atlblogs.com/archives/2007_09.html
Foto retirada de: http://www.thehealthblog.net/kids-health/measles-beware/
  • Fase de Recuperação: o rash desaparece seguindo-se fina descamação da pele. A tosse é o último sintoma a desaparecer. Surgem linfadenomegalias ("ínguas").
- Laboratório: redução global da leucometria, mais acentuada de linfócitos. O PCR e VHS são normais, a não ser que haja complicação bacteriana associada;
- Diagnóstico: dosagem de IgM (positiva um a dois dias após surgimento do rash e assim permanece por 1 mês. O aumento de cerca de 4 vezes o título de IgG também auxilia no diagnóstico, e pode ser realizada 2 a 4 semanas após a fase de recuperação. Em alguns casos pode ser necessário o isolamento de partículas virais ou PCR;
- Complicações: pneumonia, bronquiolite, traqueíte, crupe, otite média aguda, rinossinusite, mastoidite, reativação de focos de tuberculose pulmonar, diarréia, vômitos, apendicite, convulsões, encefalite, formas graves do sarampo (sarampo hemorrágico ou sarampo negro), panencefalite esclerosante subaguda (PEES);
- Tratamento: sintomáticos. Imunocomprometidos podem necessitar de antivirais e imunoglobulina;
- Profilaxia: a vacina anti-sarampo pode ser administrada até 72 horas após o contato, no intuito de se evitar a contaminação. Lactentes menores de 6 meses, gestantes, imunocomprometidos e contactantes intradomiciliares suscetíveis podem receber a imunoglobulina.

Observação: no dia 15 de março de 2011 foi confirmado o primeiro caso de sarampo do ano. O paciente, um senhor de 41 anos, morador de Campinas-SP, foi contaminado em viagem à Orlando, nos Estados Unidos, em janeiro passado. A Secretaria de Saúde paulista está convocando para vacinação contra o sarampo as pessoas que vão viajar ao exterior ou a outros estados, caso ainda não tenham sido imunizadas. Além dos viajantes, devem tomar a vacina os profissionais que atuam no setor de turismo, como motoristas de táxi, funcionários de hotéis e restaurantes, e outros que mantenham contato com turistas no estado. Também devem tomar uma dose da vacina profissionais de saúde e de educação. Quem viajou deve ficar atento aos sintomas da doença.

Enteroviroses

- São causadas por vírus, sendo os principais grupos:
  • Poliovirus 1, 2 e 3: não serão descritos aqui porque são os causadores da poliomielite ou paralisia infantil;
  • Coxsackie A e B;
  • Echovirus;
  • Enterovirus.
- São vírus muito comuns e circulam durante todo o ano em países semi-tropicais;
- Transmissão: através das fezes, saliva, secreções respiratórias, fômites, transplacentária ou durante o trabalho de parto;
- O período de incubação, ou seja, o tempo desde que a pessoa seja contaminada até o surgimento dos primeiros sintomas varia entre 3 a 6 dias;
- Manifestações Clínicas: são muito variáveis, podendo causar desde infecções assintomáticas até quadros graves:
  • Doença Febril Inespecífica: é a forma clínica mais frequente. Comum em lactentes e crianças pequenas. Dura cerca de 7 dias. Manifesta-se por febre alta (39 a 40o.C) durante 3 dias, associada a mal-estar, irritabilidade, anorexia, náuseas, vômitos, diarréia, dor abdominal e sintomas respiratórios. Pode ser acompanhada de rash maculopapular, urticariforme, petequial ou vesicular;
  • Doença Mão-Pé-Boca: febre baixa e presença de vesículas em lábios, gengivas, mucosa jugal, tonsilas faríngeas e palato. Associa-se rash maculopapular, vesicular ou pustular localizados em mãos, pés e nádegas, levemente dolorosos;

Aspecto da mão na Doença Mão-Pé-Boca. Foto retirada de: http://cantinhodaenfermeiraregina.blogspot.com/2010/11/sindrome-mao-pe-boca.html

  • Herpangina: febre alta (até 41o.C), que dura 1 a 4 dias, associada a dor de garganta e dor ao deglutir. Associam-se vesículas ou úlceras (aproximadamente 5 lesões) em orofaringe posterior. Em 25% dos casos, pode haver vômitos e dor abdominal;
  • Manifestações Respiratórias: coriza, obstrução nasal, espirros, dor de garganta e broncoespasmo;
  • Conjuntivite Aguda Hemorrágica: frequente em escolares e adolescentes. Manifesta-se com hiperemia conjuntival, visão borrada, fotofobia (intolerância à luz) e lacrimejamento. Apresenta secreção conjuntival serosa (mucopurulenta quando associada a infecção bacteriana secundária);
  • Miocardite e Pericardite: responsáveis por 25 a 30% dos casos, em especial em adolescentes e adultos jovens. Inicia-se com sintomas respiratórios e posteriormente evolui com fadiga, dispnéia (falta de ar), taquipnéia (aumento da frequência respiratória), dor torácica, arritmias e insuficiência cardíaca congestiva;
  • Manifestações Neurológicas: meningite viral (responsável por 90% dos casos, em especial em menores de 3 meses) e encefalite (responsável por 10 a 20% das encefalites virais).
- Diagnóstico: o da Doença Mão-Pé-Boca é clínico. As demais formas podem necessitar de métodos de cultura viral;
- Prevenção: lavar as mãos e evitar compartilhar utensílios (copos, colheres etc).

domingo, 13 de março de 2011

Síndrome da Mononucleose Infecciosa ou "Doença do Beijo"

- 90% dos casos de Mononucleose Infecciosa é causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB). Os 10% restantes podem ser provocados pelos mesmos agentes causadores da citomegalovirose, toxoplasmose, rubéola, hepatite, HIV e adenovirose;
- Considera-se que cerca de 95% da população mundial já foi acometida pelo VEB;
- Normalmente assintomática ou inespecífica em menores de 4 anos de idade;
- Porém, em cerca de 50% dos casos, quando acomete adolescentes e adultos jovens, a doença se apresenta em sua forma clássica (e que dura, em média, 2 a 4 semanas):
  • Inicia-se com mal-estar, fraqueza, febre, dor de garganta, dor abdominal, dor muscular e náuseas que duram cerca de 1 a 2 semanas;
  • As tonsilas palatinas ("amígdalas") aumentam de tamanho, ficam hiperemiadas ("vermelhas"), com petéquias em palato e exsudato fibrinopurulento. 90% dos pacientes apresentam linfadenomegalia ("ínguas") em pescoço, embaixo do queixo, nas axilas, virilhas e até nos cotovelos. 50% dos pacientes apresentam um aumento no tamanho do baço e 10% apresentam aumento no tamanho do fígado. Pode haver edema ("inchaço") nas pálpebras. 3 a 15% dos pacientes apresenta um rash maculopapular eritematoso. Em 80% dos casos, o rash surge após o início do uso de antibióticos (ampicilina/amoxicilina).


Foto retirada de: http://www.webmd.com/skin-problems-and-treatments/picture-of-infectious-mononucleosis

 - Transmissão: contato com gotículas de saliva e intercurso sexual. Uma vez contaminada, a pessoa pode transmitir o vírus de forma intermitente;
- Laboratório: caracterizado por leucocitose (10.000 a 20.000 células/mm cúbico), com 20 a 40% de linfócitos atípicos. Há leve trombocitopenia (50.000 a 200.000 plaquetas/mm cúbico). Em metade dos casos, há aumento das enzimas hepáticas;
- Diagnóstico: pesquisa de anticorpos IgM pelo Teste de Paul-Bunnel-Davidsohn; IgM e IgG anti-VCA e anti-EBNA;
- Complicações: sintomas neurológicos (cefaléia, convulsões, ataxia cerebelar, metamorfopsia), obstrução de vias aéreas superiores, anemia hemolítica, ruptura do baço;
- O VEB está relacionado ao potencial desenvolvimento de desordens linfoproliferativas (câncer de nasofaringe, linfoma de Burkitt e síndrome de Duncam);
- Tratamento: hidratação, antipiréticos, repouso, evitar esportes de contato corporal e atividades esportivas por 2 a 3 semanas (pelo risco de ruptura do baço). Em alguns casos pode ser necessário o uso de corticóides.

sábado, 12 de março de 2011

Escarlatina

- Também conhecida como "segunda doença";
- Doença bacteriana causada pelo Streptococcus pyogenes;
- A escarlatina é uma complicação imediata da faringite estreptocócica;
- Acomete normalmente crianças a adolescentes entre 3 e 15 anos. Pode ocorrer em qualquer parte do ano, sendo predominante no inverno e primavera;
- Transmissão: dá-se por via aérea, pelas gotículas de secreção respiratória;
- O tempo de incubação, ou seja, o tempo desde que a pessoa seja contaminada até o surgimento dos primeiros sintomas varia entre 2 e 5 dias;
- Clínica: ocorre vermelhidão na faringe e nas tonsilas. Em 50% dos casos, surgem pequenas placas esbranquiçadas na faringe posterior e/ou nos pilares amigdalianos; petéquias no palato e hiperemia e edema da úvula podem ocorrer. A língua adquire uma superfície com papilas proeminentes, inicialmente com uma superfície branca de permeio ("língua em morango branco"). Por volta do terceiro dia, a língua adquire intenso brilho vermelho ("língua em morango vermelho"). Pode haver adenopatia ("'ínguas") no pescoço. Um a dois dias após o início dos sintomas da faringite surge o rash, inicialmente no tórax e depois no restante do tronco, pescoço e membros, poupando a região palmo-plantar. O exantema é formado por pápulas ("caroços") eritematosas puntiformes bem próximas umas das outras, tornando a pele áspera, semelhante a uma lixa. Um discreto rubor facial é marcado por uma nítida palidez peri-bucal ("em volta da boca"), sendo esse achado chamado "sinal de Filatov". Nas pregas flexoras cutâneas (por exemplo na "dobra do braço"), o exantema se intensifica, sendo esse achado chamado "sinal de Pastia". O exantema desaparece após 7 dias, deixando descamação lamelar, incluindo a face e a região palmo-plantar;

Exantema ou Rash
Placas na orofaringe. Foto retirada de: emedicine.medscape.com/article/785981-overview>
Língua em morango branco. Foto retirada de: sitemaker.umich.edu/mc3/duong>
Língua em morango vermelho. Foto retirada de: inoutstar.com/image-detail/The-Whys-and-Hows-of-Scarlet-Fever-6464-2256.html>
Sinal de Filatov. Foto retirada de: sarasota.k12.fl.us/schoolhealth/Communicable%20Diseases.htm>
Descamação lamelar. Foto retirada de: skinsight.com/infant/scarletFever.htm>.

- Diagnóstico: basicamente clínico. Nos casos de dúvida, pode ser confirmado pela cultura de secreção da orofaringe. Os testes rápidos de detecção de antígeno também podem ser usados. O aumento dos títulos dos anticorpos estreptocócicos (ASO e Anti-DNAse B) entre a fase aguda e a convalescença também é útil na confirmação da infecção. Um aumento de 2 vezes ou mais na titulação é um indício favorável à ocorrência da infecção;
- Laboratório: pode haver leucocitose com desvio à esquerda;
- Tratamento: realizado com antibióticos.

Eritema Infeccioso

- Também conhecida com a "quinta-doença";
- Causado pelo vírus Parvovírus B19;
- Doença muito frequente;
- Vacina: não existe;
- Acomete crianças e adolescentes entre 5 a 15 anos. Pode ocorrer infecção fetal;
- Transmissão: através de gotículas de secreções do nasofaringe. Há relatos de transmissão sanguínea, principalmente em pacientes hemofílicos que recebem fatores de coagulação;
- O tempo de incubação, ou seja, o tempo desde que a pessoa tenha sido contaminada até o surgimento dos primeiros sintomas varia entre 16 e 17 dias;
- Sintomas: muitas infecções por parvovírus B19 são assintomáticas. Nas sintomáticas, ocorrem duas fases: a primeira, cerca de 7 a 11 dias após o contato, com febre baixa, mal-estar, dor de cabeça, sintomas de IVAS (resfriado) e linfadenopatia ("'ínguas"); a segunda, cerca de 17 a 18 dias após o contato, com o surgimento do rash (exantema) e da artralgia. O rash evolui em 3 fases: na primeira ocorre exantema na face, mais intenso nas regiões maxilares, com aspecto de "bochecha esbofeteada"; na segunda ocorre disseminação do rash eritematoso para tronco e extremidades proximais (superfície extensora). Há um clareamento central das manchas, dando-lhes um aspecto rendilhado. Pode haver leve prurido (coceira). O rash resolve-se sem descamação; na terceira fase pode ocorrer recidiva do rash em 1 a 3 semanas, principalmente após exposição ao sol, calor, estresse e atividade física. A artropatia pode se manisfestar como artralgia ou mesmo artrite franca, geralmente de mãos, punhos, joelhos e tornozelo;

A foto foi retirada do site: < http://bdigital.ces.edu.co:8080/dspace/handle/123456789/184?mode=full>
- Os infectados, quando na fase do rash, já não transmitem a doença;
- Complicações/Outras Manifestações: crise aplástica transitória, anemia crônica, miocardite, meningite asséptica e síndrome de "luvas e meias";
- Diagnóstico: na maioria dos casos é feita clinicamente. Pode ser solicitada a sorologia para IgM, que surge logo após o início das manifestações clínicas e permanece elevado por 6 a 8 semanas;
- Tratamento: não existe tratamento específico. Pacientes imunodeprimidos poder ser tratados com imunoglobulina;
- As crianças com anemia aplástica devem ser isoladas.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Março é o mês ideal para vacinar as crianças maiores de 6 meses de vida contra a gripe.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Rubéola

- Também chamada "terceira-doença";
- Causada por um vírus;
- Vacina: todas as crianças recebem do governo brasileiro  vacina contra a Rubéola, que é aplicada juntamente com a vacina contra o Sarampo e a Caxumba (SRC ou MMR), com 1 ano de idade.  O reforço da vacina é realizado entre 4 e 6 anos de idade;
- Após a introdução da vacina, os casos ocorrem mais comumente em maiores de 19 anos de idade;
- Transmissão: através de gotículas de saliva ou secreção respiratória. O doente transmite a rubéola 5 dias ANTES do surgimento do rash até 6 dias APÓS o surgimento do rash;
- O tempo de incubação, ou seja, o tempo desde que a pessoa tenha sido contaminada até o surgimento dos primeiros sintomas varia entre 14 e 21 dias;
- Clínica: inicia-se com febre baixa, dor de garganta, conjuntivite, dor de cabeça, mal-estar, falta de apetite e linfadenomegalia ("ínguas"), em especial suboccipital (nuca), pós-auricular (atrás das orelhas) e cervical anterior (no pescoço). Surge então o rash maculopapular róseo, irregular,  que se inicia na face e pescoço e dissemina-se para tronco e extremidades. O rash dura cerca de 3 dias e desaparece sem descamar. 25% a 40% dos pacientes podem apresentar a rubéola SEM apresentar o rash;


- Laboratório: há leucopenia, neutropenia e trombocitopenia leves;
- Diagnóstico: pode ser realizado pela detecção de IgM específica, até 28 dias após o início do rash;
- Complicações: raras. Pode acontecer trombocitopenia mais intensa, artrite, encefalite e panencefalite progressiva;
- Tratamento: feito com analgésicos e antipiréticos. Nos casos de trombocitopenias graves, corticóides e imunoglobulinas podem ser indicados.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Especial sobre Comprimento/Estatura - 0 a 5 Anos

- Em 2006 a OMS – Organização Mundial de Saúde lançou as novas curvas de crescimento de crianças entre 0 e 5 anos de idade. Antes disso, várias curvas de crescimento eram utilizadas pelos profissionais de saúde. Uma das mais difundidas era a curva do NCHS – National Center for Health Statistics, um ramo do CDC – Centers for Disease Control and Prevention, órgão norte-americano sediado em Atlanta. Várias críticas eram feitas sobre este modelo:
          - Eram curvas criadas usando apenas crianças norte-americanas como padrão, portanto, poderiam ser usadas para se avaliar crianças de todos os outros países do mundo, com padrões genéticos e realidades sócio-econômicas tão diferentes?
          - Além disso, considerava como padrão crianças que recebiam alimentação através de fórmulas infantis (não eram amamentadas ao seio materno). Atualmente sabe-se que as crianças que recebem fórmulas infantis apresentam pesos mais elevados do que as que são amamentadas ao seio.
- Em 2006, houve então o lançamento das novas curvas da OMS. Foram inovadoras porque consideraram como padrão crianças de seis países: Brasil, Gana, Índia, Noruega, Omã e Estados Unidos da América. O estudo foi iniciado em 1997 e concluído em 2003 e foram avaliadas 8440 crianças. Para participarem do estudo, as mães não poderiam fumar durante ou após a gestação e deveriam garantir acompanhamento de saúde para os filhos participantes. As crianças deveriam ser amamentadas SOMENTE ao seio materno, ter bons hábitos alimentares e realizarem a prevenção e o controle de doenças. Foram criadas várias curvas, porém, as mais utilizadas são as de peso e estatura/altura para a idade, perímetro cefálico para a idade e IMC – índice de massa corporal para a idade.
- As curvas da OMS – 2006 são as utilizadas nas novas Cadernetas de Saúde da Criança (Brasil, Ministério da Saúde, 2009).
- Os valores são válidos para crianças nascidas a termo, ou seja, com 37 semanas ou mais de gestação.
- Até os 2 anos de idade as crianças são medidas deitadas. Crianças com 2 anos ou mais devem ser medidas de pé. 
- Vale lembrar que a análise da saúde ponderal da criança passa por outras questões. Não basta a criança estar dentro da “área verde” da curva de crescimento. Deve-se levar em conta o ganho de altura em determinado período de tempo, conforme esquema abaixo: 
          - 0 a 3 meses: 8 a 9 cm (no total);
          - 3 a 6 meses: 6 a 7 cm (no total);
          - 6 a 12 meses: 10 cm (no total);
          - Entre 2 e 5 anos: 7 cm por ano;
          - Entre 6 e 12 anos: 6 cm por ano;
          - Puberdade Feminina: 8 a 10 cm por ano;
          - Puberdade Masculina: 10 a 12 cm por ano.

Meninas – 0 a 5 Anos, segundo OMS (2006)
Idade
(meses)
Comprimento/
Estatura Muito Baixo para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Baixo para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Adequado para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Elevado para a Idade (cm)
0
< 43,6
43,6 a 45,3
45,4 a 52,9
> 52,9
1
< 47,8
47,8 a 49,7
49,8 a 57,6
> 57,6
2
< 51
51 a 52,9
53 a 61,1
> 61,1
3
< 53,5
53,5 a 55,5
55,6 a 64
> 64
4
< 55,6
55,6 a 57,7
57,8 a 66,4
> 66,4
5
< 57,4
57,4 a 59,5
59,6 a 68,5
> 68,5
6
< 58,9
58,9 a 61,1
61,2 a 70,3
> 70,3
7
< 60,3
60,3 a 62,6
62,7 a 71,9
> 71,9
8
< 61,7
61,7 a 63,9
64 a 73,5
> 73,5
9
< 62,9
62,9 a 65,2
65,3 a 75
> 75
10
< 64,1
64,1 a 66,4
66,5 a 76,4
> 76,4
11
< 65,2
65,2 a 67,6
67,7 a 77,8
> 77,8
12
< 66,3
66,3 a 68,8
68,9 a 79,2
> 79,2
13
< 67,3
67,3 a 69,9
70 a 80,5
> 80,5
14
< 68,3
68,3 a 70,9
71 a 81,7
> 81,7
15
< 69,3
69,3 a 71,9
72 a 83
> 83
16
< 70,2
70,2 a 72,9
73 a 84,2
> 84,2
17
< 71,1
71,1 a 73,9
74 a 85,4
> 85,4
18
< 72
72 a 74,8
74,9 a 86,5
> 86,5
19
< 72,8
72,8 a 75,7
75,8 a 87,6
> 87,6
20
< 73,7
73,7 a 76,6
76,7 a 88,7
> 88,7
21
< 74,5
74,5 a 77,4
77,5 a 89,8
> 89,8
22
< 75,2
75,2 a 78,3
78,4 a 90,8
> 90,8
23
< 76
76 a 79,1
79,2 a 91,9
> 91,9
24
< 76,7
76,7 a 79,9
80 a 92,9
> 92,9
25
< 76,8
76,8 a 79,9
80 a 93,1
> 93,1
26
< 77,5
77,5 a 80,7
80,8 a 94,1
> 94,1
27
< 78,1
78,1 a 81,4
81,5 a 95
> 95
28
< 78,8
78,8 a 82,1
82,2 a 96
> 96
29
< 79,5
79,5 a 82,8
82,9 a 96,9
> 96,9
30
< 80,1
80,1 a 83,5
83,6 a 97,7
> 97,7
31
< 80,7
80,7 a 84,2
84,3 a 98,6
> 98,6
32
< 81,3
81,3 a 84,8
84,9 a 99,4
> 99,4
33
< 81,9
81,9 a 85,5
85,6 a 100,3
> 100,3
34
< 82,5
82,5 a 86,1
86,2 a 101,1
> 101,1
35
< 83,1
83,1 a 86,7
86,8 a 101,9
> 101,9
36
< 83,6
83,6 a 87,3
87,4 a 102,7
> 102,7
37
< 84,2
84,2 a 87,9
88 a 103,4
> 103,4
38
< 84,7
84,7 a 88,5
88,6 a 104,2
> 104,2
39
< 85,3
85,3 a 89,1
89,2 a 105
> 105
40
< 85,8
85,8 a 89,7
89,8 a 105,7
> 105,7
41
< 86,3
86,3 a 90,3
90,4 a 106,4
> 106,4
42
< 86,8
86,8 a 90,8
90,9 a 107,2
> 107,2
43
< 87,4
87,4 a 91,4
91,5 a 107,9
> 107,9
44
< 87,9
87,9 a 91,9
92 a 108,6
> 108,6
45
< 88,4
88,4 a 92,4
92,5 a 109,3
> 109,3
46
< 88,9
88,9 a 93
93,1 a 110
> 110
47
< 89,3
89,3 a 93,5
93,6 a 110,7
> 110,7
48
< 89,8
89,8 a 94
94,1 a 111,3
> 111,3
49
< 90,3
90,3 a 94,5
94,6 a 112
> 112
50
< 90,7
90,7 a 95
95,1 a 112,7
> 112,7
51
< 91,2
91,2 a 95,5
95,6 a 113,3
> 113,3
52
< 91,7
91,7 a 96
96,1 a 114
> 114
53
< 92,1
92,1 a 96,5
96,6 a 114,6
> 114,6
54
< 92,6
92,6 a 97
97,1 a 115,2
> 115,2
55
< 93
93 a 97,5
97,6 a 115,9
> 115,9
56
< 93,4
93,4 a 98
98,1 a 116,5
> 116,5
57
< 93,9
93,9 a 98,4
98,5 a 117,1
> 117,1
58
< 94,3
94,3 a 98,9
99 a 117,7
> 117,7
59
< 94,7
94,7 a 99,4
99,5 a 118,3
> 118,3
60
< 95,2
95,2 a 99,8
99,9 a 118,9
> 118,9









Meninos – 0 a 5 Anos, segundo OMS (2006)
Idade
(meses)
Comprimento/
Estatura Muito Baixo para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Baixo para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Adequado para a Idade (cm)
Comprimento/
Estatura Elevado para a Idade (cm)
0
< 44,2
44,2 a 46
46,1 a 53,7
> 53,7
1
< 48,9
48,9 a 50,7
50,8 a 58,6
> 58,6
2
< 52,4
52,4 a 54,3
54,4 a 62,4
> 62,4
3
< 55,3
55,3 a 57,2
57,3 a 65,5
> 65,5
4
< 57,6
57,6 a 59,6
59,7 a 68
> 68
5
< 59,6
59,6 a 61,6
61,7 a 70,1
> 70,1
6
< 61,2
61,2 a 63,2
63,3 a 71,9
> 71,9
7
< 62,7
62,7 a 64,7
64,8 a 73,5
> 73,5
8
< 64
64 a 66,1
66,2 a 75
> 75
9
< 65,2
65,2 a 67,4
67,5 a 76,5
> 76,5
10
< 66,4
66,4 a 68,6
68,7 a 77,9
> 77,9
11
< 67,6
67,6 a 69,8
69,9 a 79,2
> 79,2
12
< 68,6
68,6 a 70,9
71 a 80,5
> 80,5
13
< 69,6
69,6 a 72
72,1 a 81,8
> 81,8
14
< 70,6
70,6 a 73
73,1 a 83
> 83
15
< 71,6
71,6 a 74
74,1 a 84,2
> 84,2
16
< 72,5
72,5 a 74,9
75 a 85,4
> 85,4
17
< 73,3
73,3 a 75,9
76 a 86,5
> 86,5
18
< 74,2
74,2 a 76,8
76,9 a 87,7
> 87,7
19
< 75
75 a 77,6
77,7 a 88,8
> 88,8
20
< 75,8
75,8 a 78,5
78,6 a 89,8
> 89,8
21
< 76,5
76,5 a 79,3
79,4 a 90,9
> 90,9
22
< 77,2
77,2 a 80,1
80,2 a 91,9
> 91,9
23
< 78
78 a 80,9
81 a 92,9
> 92,9
24
< 78,7
78,7 a 81,6
81,7 a 93,9
> 93,9
25
< 78,6
78,6 a 81,6
81,7 a 94,2
> 94,2
26
< 79,3
79,3 a 82,4
82,5 a 95,2
> 95,2
27
< 79,9
79,9 a 83
83,1 a 96,1
> 96,1
28
< 80,5
80,5 a 83,7
83,8 a 97
> 97
29
< 81,1
81,1 a 84,4
84,5 a 97,9
> 97,9
30
< 81,7
81,7 a 85
85,1 a 98,7
> 98,7
31
< 82,3
82,3 a 85,6
85,7 a 99,6
> 99,6
32
< 82,8
82,8 a 86,3
86,4 a 100,4
> 100,4
33
< 83,4
83,4 a 86,8
86,9 a 101,2
> 101,2
34
< 83,9
83,9 a 87,4
87,5 a 102
> 102
35
< 84,4
84,4 a 88
88,1 a 102,7
> 102,7
36
< 85
85 a 88,6
88,7 a 103,5
> 103,5
37
< 85,5
85,5 a 89,1
89,2 a 104,2
> 104,2
38
< 86
86 a 89,7
89,8 a 105
> 105
39
< 86,5
86,5 a 90,2
90,3 a 105,7
> 105,7
40
< 87
87 a 90,8
90,9 a 106,4
> 106,4
41
< 87,5
87,5 a 91,3
91,4 a 107,1
> 107,1
42
< 88
88 a 91,8
91,9 a 107,8
> 107,8
43
< 88,4
88,4 a 92,3
92,4 a 108,5
> 108,5
44
< 88,9
88,9 a 92,9
93 a 109,1
> 109,1
45
< 89,4
89,4 a 93,4
93,5 a 109,8
> 109,8
46
< 89,8
89,8 a 93,9
94 a 110,4
> 110,4
47
< 90,3
90,3 a 94,3
94,4 a 111,1
> 111,1
48
< 90,7
90,7 a 94,8
94,9 a 111,7
> 111,7
49
< 91,2
91,2 a 95,3
95,4 a 112,4
> 112,4
50
< 91,6
91,6 a 95,8
95,9 a 113
> 113
51
< 92,1
92,1 a 96,3
96,4 a 113,6
> 113,6
52
< 92,5
92,5 a 96,8
96,9 a 114,2
> 114,2
53
< 93
93 a 97,3
97,4 a 114,9
> 114,9
54
< 93,4
93,4 a 97,7
97,8 a 115,5
> 115,5
55
< 93,9
93,9 a 98,2
98,3 a 116,1
> 116,1
56
< 94,3
94,3 a 98,7
98,8 a 116,7
> 116,7
57
< 94,7
94,7 a 99,2
99,3 a 117,4
> 117,4
58
< 95,2
95,2 a 99,6
99,7 a 118
> 118
59
< 95,6
95,6 a 100,1
100,2 a 118,6
> 118,6
60
< 96,1
96,1 a 100,6
100,7 a 119,2
> 119,2