segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Doenças Meningocócicas

- A bactéria Neisseria meningitidis pode causar meningite (inflamação das membranas que revestem o sistema nervoso central) e meningococcemia (infecção generalizada);
- Possuem início abrupto e evolução rápida, podendo levar ao óbito em 24 a 48 horas;
- Existem 13 sorotipos de Neisseria meningitidis, mas os que mais frequentemente causam tais doenças são os A, B, C, Y e W135;
- Podem causar doenças em todas as idades;
- A transmissão dá-se através de gotículas de saliva, espirro e tosse;
- As manifestações iniciais são:
• Febre alta;
• Prostração;
• Dor de cabeça;
• Vômitos;
• Aparecimento na pele de pequenas manchas violáceas que inicialmente são semelhantes às picadas de mosquitos, mas que rapidamente aumentam de número e de tamanho;


• Dor e dificuldade na movimentação do pescoço (rigidez de nuca).
- Em menores de 1 ano as manifestações podem ser mais inespecíficas:
• Febre;
• Irritabilidade;
• Choro constante;
• Abaulamento da fontanela (“moleira”);
• Sem rigidez de nuca.
- Já existe na rede privada brasileira a vacina contra o meningococo tipo C. Crianças a partir de 3 meses de vida podem ser vacinadas. Adultos também podem ser vacinados;
- Em outubro de 2009, registrou-se um surto de meningite meningocócica tipo C na Bahia.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Tempo de Dengue


- A Dengue é causada pela fêmea do mosquito acima, o Aedes aegypti. É responsável também pela transmissão da Febre Amarela Urbana;
- Encontrado em todos os estados do Brasil;
- Atraído pelos altos índices de calor e umidade, por isso sua infestação é mais intensa no verão;
- Capaz de picar uma pessoa mesmo que ela esteja protegida por roupas. Pica nas regiões dos pés, tornozelos e pernas. Isto ocorre pois costuma voar a uma altura máxima de meio metro do solo;
- Muito importante: o mosquito tem hábito DIURNO, ou seja, pica de dia, sobretudo ao amanhecer e entardecer. Por isso, as pessoas, sobretudo as crianças, ficam muito expostas. Já percebi a presença dele na sala de aula do meu filho;
- Os ovos são colocados em água limpa e parada. Se a fêmea estiver infectada pelo vírus da dengue quando realizar a postura de ovos, há a possibilidade de as larvas já nascerem com o vírus. Por isso, é importante não deixar objetos com água parada dentro de casa ou no quintal. Sem este ambiente favorável, o  mosquito não consegue se reproduzir;
-  Os ovos podem permanecer viáveis por até 400 dias;
- Sintomas:
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos olhos;
  • Dores pelo corpo (juntas, ossos e músculos);
  • Desânimo, falta de apetite, náuseas, vômitos;
  • Às vezes, diarréia;
  • Quando a febre e a dor melhoram (entre o terceiro e o quinto dia) pode aparecer exantema (lesões avermelhadas na pele semelhantes a alergia ou rubéola). Nessa época, podem surgir pequenos sangramentos (como se fossem picadas de insetos na pele) ou sangramento no nariz e gengivas;
  • A dengue pode causar hepatite por dengue.
- Sinais de gravidade da doença (necessitam de tratamento médico imediato):
  • Dor abdominal intensa ou contínua;
  • Tontura e desmaio quando se muda de posição (sentado ou em pé);
  • Dificuldade de respirar;
  • Pés e mãos frios e arroxeados, com fraqueza no corpo ou com o coração batendo rápido;
  • Vômitos persistentes ou com sangue.
- Não há tratamento para a forma clássica (menos grave) da doença. Deve-se realizar controle dos sintomas com PARACETAMOL ou DIPIRONA. Não usar antinflamatórios (ibuprofeno, cetoprofeno etc) e medicamentos com AAS - ácido acetilsalicílico, pois aumentam o risco de hemorragias. Deve-se ingerir muitos líquidos, como água, sucos, chás, soros caseiros etc;
- O médico deve ser procurado para a realização do diagnóstico, através de exame de sangue e para orientação do tratamento;
- A melhor forma de evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água;
- Usar mosquiteiros, telas nas portas e janelas, equipamentos elétricos nas tomadas. Algumas crianças possuem reação alérgica grave aos inseticidas dos aparelhos elétricos.  Por isso, para crianças, a melhor proteção é a barreira física (mosquiteiros e telas);
- Já existem no mercado repelentes em creme que podem ser usados em crianças com mais de 6 meses de vida;
- Existem repelentes elétricos que não usam pastilhas inseticidas (atuam através da emissão de  ultra-som), disponíveis no mercado (Riddex, Repemax etc). Não sei sobre sua real eficácia.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal!

          Desejo a todos um Natal de Paz, Amor, Saúde, Prosperidade e União. Que esse espírito de Natal, capaz de despertar o que temos de melhor, perdure durante o ano inteiro.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

"Uma criança saudável pode ter até 13 episódios de tosse ao dia (sem que isso signifique doença)".

domingo, 13 de dezembro de 2009

Vomitou o remédio?

          Se a criança vomitar o remédio imediatamente após a administração, ele pode ser dado novamente. Caso contrário, o mais seguro é esperar o horário recomendado para a nova dose.
          Alguns medicamentos podem ser misturados ao suco ou ao leite para serem melhor tolerados. Porém, se a criança não tomar todo o conteúdo, a dose será perdida.
          Outros medicamentos, sobretudo alguns antibióticos, devem ser tomados longe das refeições (e portanto não podem ser misturados em sucos ou leite). O ideal é dar uma olhadinha na bula e verificar se há alguma restrição. 

domingo, 6 de dezembro de 2009

Cuidados com o Umbigo

- Primero de tudo: o umbigo NÃO dói;
- O recém-nascido chora porque o álcool é geladinho;
- No banho, pode ser lavado com sabonete neutro;
- Limpar o umbigo com cotonete ou gaze embebidos em Álcool a 70% (somente), após o banho e a cada troca de fraldas. Lavar bem as SUAS mãos antes do procedimento;
- Limpar em toda a sua circunferência, ou seja, deve-se segurar o coto umbilical com uma das mãos e limpar em volta dele;
- Cai em cerca de 7 a 15 dias;
- Depois da queda, continuar limpando a região com Álcool a 70% por mais dez dias;
- NUNCA, mas NUNCA mesmo, usar aquelas faixas que seguram o umbigo (também chamados de cinteiros) com a intenção de que a criança não tenha hérnia umbilical (famoso "umbigo pra fora" ou "estufado"). Primeiro porque, se a criança tiver tendência a ter hérnia umbilical (e isso é determinado pelo modo como o cordão umbilical foi inserido no abdome, ou seja, isso é "genético"), NADA, nem faixa, nem moeda, vai fazer com que o umbigo entre para dentro. Somente poderá ser corrigido com cirurgia plástica, no futuro (após os 5 anos de vida). Segundo, porque a respiração dos recém-nascidos é predominantemente abdominal, portanto, a faixa atrapalha a criança a respirar. Terceiro, porque se o umbigo ficar encoberto, há mais chances de infectar;
- Se perceber qualquer secreção amarelada ou fétida saindo pelo umbigo; se apresentar sangramento excessivo ou se a pele ao redor estiver vermelha, procurar o PS imediatamente;
- Um pequeno sangramento é normal. 

Post revisado em 21/12/2011.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Meus leitores,
Preciso de uma contra-partida de vocês. Estão gostando do blog? Comentem, enviem suas dúvidas, sugiram assuntos! Esse canal é para todos nós, para nos manter mais próximos. Indiquem a seus amigos, participem. Beijos.